Quero aprender francês

A França e seu idioma apresentados por um brasileiro

“Inglês é que é fácil”

Todo professor de francês já ouviu de seus alunos (uma vez ou várias) algo como: “Francês é muito complicado. Acho inglês bem mais fácil, porque quase não tem conjugação de verbos!”

De fato, em inglês, para aprender um verbo, normalmente basta conhecer três formas: o infinitivo, o passado e o particípio passado. Para felicidade geral da nação, na maioria das vezes essas duas últimas formas são iguais. As flexões (-s para a 3ª p. do singular do presente, -ed para o passado e -ing para o gerúndio) são simples e a maior parte dos tempos se forma por auxiliares.

Se eu dissesse que a conjugação em francês não dá certa dor de cabeça, seria mentira – não vou negar que tem um monte de terminações, verbos irregulares, primeiro grupo, segundo grupo, terceiro grupo etc. E vou deixar para outro dia o paralelo que mostra que os verbos em francês são mais simples que em português: é da comparação com o inglês que estamos falando.

Mas o que sempre me pergunto é por que essa coisa de verbo é colocada como o medidor da dificuldade de uma língua estrangeira, como se a gente não tivesse várias outras coisas para aprender. Se eu quisesse ser chato, diria que a suposta complicação do francês serve de desculpa para os alunos que não estudam o bastante. Se eu quisesse ser extremamente sincero, confessaria que, como professor, estou ciente de que nem sempre consigo fazer com que todos os meus alunos compreendam e assimilem esse ponto gramatical. (Mas eu faço o que posso, juro!)

Acontece que o inglês parece mais fácil porque temos muito mais contato com ele: filmes, seriados e músicas nesse idioma são bastante difundidos no Brasil. Pegamos muita coisa “por osmose”, quase sem querer. Que ótimo! Mas quem estuda outra língua pode conseguir muito material na internet e no movimento alternativo de circulação de bens culturais (eufemismo que inventei para pirataria – ficou bom, né?).

O importante é você lembrar, antes de continuar lendo, que minha intenção não é te convencer que francês é moleza. Quero simplesmente que você entenda que a língua de Shakespeare é bem menos simples do que algumas pessoas gostam de pensar. Além disso, não vale o camarada estudar inglês durante 10 anos (e às vezes até fazer intercâmbio nos EUA) e depois vir me dizer, no meio do segundo semestre, que acha francês complicado “porque em inglês eu consigo dizer tudo”. Alguns soltam a pérola na terceira semana de aula do primeiro semestre…

De qualquer forma, o importante é lembrar que ficar martelando chatices do gênero “conjugar verbo em francês é muito complicado” não leva a lugar nenhum. Por outro lado, há diversos fatores que tornam o francês mais fácil do que o inglês e levam a balança para perto do meio. Seguem alguns exemplos:

1) A ordem das palavras na frase, em francês, é quase sempre igual à do português. Nada, portanto, daquelas construções típicas do inglês que nos parecem “extraterrestres”: paper-based process automation solutions (“soluções para a automação do processo baseado em papel” – em francês, solutions pour l’automation du procédé basé sur le papier).

2) O francês é uma língua neolatina, “prima” do português, e tem muitas palavras cognatas, ou seja, parecidas com as nossas. É por isso que é mais fácil para o professor de francês ser entendido por seu aluno quase de imediato, desde que fale pausadamente e escolha bem o vocabulário. É por isso, também, que um brasileiro que só fala português se sente mais à vontade lendo em francês do que em inglês. Imagine que você não sabe nada de francês nem de inglês e compare a transparência dessas frases: Elle se sent bien e She feels all right.

3) Em francês, se você ouve uma palavra, não tem certeza de como ela se escreve (aliás, uma pedra no sapato de quem aprende francês é a homofonia, isto é, o fato de algumas palavras terem a mesma pronúncia mas serem escritas de um jeito diferente). Por outro lado, ao ver uma palavra escrita, raramente você se engana – é lógico que a maneira de ler não é como em português, mas uma vez que você aprende, há razoavelmente poucas exceções. Com relação à ortografia do inglês, costumo dizer que é algum tipo de piada sádica: compare a pronúncia da sequência de letras -ough- nas palavras thoughtoughthroughthought enough. Ou das letras -ea- em I readI’ve readbreakpeakpearl e pear. Ou de -all em all e shall. Nem vale a pena me estender aqui, se você fala inglês, já conhece o drama. (É claro que você vai pensar nos acentos do francês, e pode até mencionar que um palavrãozinhho como hétérogénéité conseque ter cinco deles. Mas os famosos acentos são menos complicados do que sonha tua vã filosofia: um dia ainda falo disso.)

4) A fonética do inglês, por outro lado, é mais complexa que a do francês: tem mais sons vocálicos e mais sons consonantais (não é uma impressão minha, é um dado objetivo). Aliás, a enorme riqueza sonora daquele idioma é um de seus aspectos que mais me encantam. Por mais que você possa achar complicados os “biquinhos”, as nasais e os erres do francês, tem que admitir que não é a coisa mais fácil do mundo aprender a pronunciar palavras como throwworld e invulnerable, a diferenciar fit de feet ou bad de bed e a resistir à tentação de pronunciar eyes igualzinho a ice

5) Além disso, é bom lembrar que a gramática inglesa não é a coisa mais regular do mundo. Algumas “esquisitices” desse idioma inspiraram o poema Four all who reed and right. Evidentemente, toda língua tem suas bizarrices, mas convenhamos que aqueles phrasal verbs, cruz credo! (Phrasal verbs são expressões criadas a partir da combinação entre um verbo e uma preposição ou um advérbio, com um sentido que não pode ser deduzido das partes, tipo turn onturn offturn overget overget upget around togive ingive upgive out e umas outras centenas).

.Mas não quero me estender demais. Aliás, por que estender é com s e extensão é com x? Português é muito complicado…

Um comentário em ““Inglês é que é fácil”

  1. silvinhasantos
    novembro 20, 2014

    Republicou isso em Silvinha Santos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em agosto 23, 2013 por e marcado .

Navegação

%d blogueiros gostam disto: